TV Onda Sul
Categoria
06/12/2017

Pacientes sofrem na espera pelas cirurgias em Passos

Embora notícias nacionais sejam divulgadas constantemente sobre a facilidade do acesso da população a procedimentos cirúrgicos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a realidade de 904 mil brasileiros e mais de 4 mil passenses demonstra totalmente o contrário.

Diante de um cenário onde os pacientes apresentam um problema de saúde que demanda por cirurgia eletiva na rede pública, eles simplesmente não conseguem vaga e precisam aguardar na fila de espera por anos e anos.

Só em Passos, de janeiro do último ano a agosto desse ano, 4.512 pessoas foram incluídas na solicitação pelas cirurgias gerais, como excisão e enxerto de pele (hemangioma, nevus ou tumor), exerese de cisto dermoide, extirpação e supressão de lesão de pele e de tecido celular subcutâneo, transposição do nervo cubital ao nível do carpo, adenoidectomia e amigdalectomia (ou essas duas últimas juntas).

Além dessas cirurgias citadas, grande parte dos pacientes esperam também por uma vaga no procedimento de septoplastia para correção de desvio, recobrimento conjuntival, tratamento cirúrgico de varizes bilateral e unilateral, colecistectomia videolaparoscópica, hernioplastia (epigástrica, incisional, inguinal - bilateral e crural/unilateral – e umbilical), reconstrução ligamentar intra-articular do joelho, resseção de cisto sinovial, retirada de placa e /ou parafusos, tratamento cirúrgico de hidrocele, postectomia e histerectomia total.

Já para as cirurgias de catarata e incluídos desde 2014 até o último mês de julho, 697 pessoas compõem a lista de espera no município, com o procedimento citado no Portal da Transparência da Prefeitura Municipal em foco emulsificação com implante de lente intra ocular dobrável.

Um nítido exemplo da agonia vivida por muitos pacientes é o caso da mãe de quatro filhos, Flaviana Santos, que enfrentou partos de riscos e recebeu a recomendação médica para fazer uma laqueadura o mais rápido possível, pois se engravidar novamente, correrá sérios riscos.

Conforme relatado pela solicitante, sua cirurgia estava agendada para o último dia 11 de junho, mas no dia em que foi ao Ambulatório São Lucas buscar sua guia, recebeu a notícia de que não seria mais operada, pois a Santa Casa de Misericórdia de Passos estava sem recursos.

Flaviana confessou que essa foi a pior notícia que já recebeu em sua vida. “Já estava com a mala pronta e com o psicológico preparado, mas pelo desprezo que somos tratados, fiquei sabendo apenas no dia que não iria mais ser operada. Entrei em desespero. Agora todo mês vou atrás e ligo, mas sempre dizem que estão sem recursos”, finalizou.

Pacientes Sofrem na espera pelas cirurgias em Passos.
Pacientes Sofrem na espera pelas cirurgias em Passos.

 

Via Folhadamanha

2017 TV Onda Sul - Todos os direitos reservados.